Paralisia Facial

Paralisia total de todos, ou alguns, músculos da expressão facial.

Paralisia Facial Periférica

A paralisia facial consiste numa paralisia total ou parcial dos músculos da face, esta pode ser classificada de duas formas: paralisia facial central ou paralisia facial periférica. A paralisia facial central acontece quando existem lesões no encéfalo, sistema nervoso central, pois é este que envia todas as informações para o nervo facial, uma vez que existem lesões as informações não serão transmitidas ou poderão chegar com deficiências. Na paralisia facial periférica as lesões estão localizadas no nervo facial, o que faz com que exista uma irritação dos músculos da face.

Paralisia Facial Periférica

A origem deste tipo de paralisia está no nervo facial, podendo ser, quer no núcleo quer na sua extensão, sendo que quando existe uma lesão neste nervo as informações não vão chegar aos músculos da face e assim estes não se vão movimentar normalmente, podendo existir fraqueza ou até mesmo paralisia de um dos lados do rosto (será no lado em que o nervo está danificado). Com este tipo de paralisia os doentes vão apresentar um dos lados da cara danificado, ou seja, existirá uma assimetria da face, no lado paralisado a boca sobe ligeiramente, os olhos poderão não piscar naturalmente, entre outros sintomas que poderão assustar um pouco tanto os doentes como os seus familiares devido à semelhança de sintomas com um AVC( acidente vascular cerebral).

Causas da paralisia facial periférica

As causas da paralisia facial periférica ainda não são conhecidas na sua totalidade, ou seja, não existe uma lista de causas que ao certo possam levar a que um doente sofra desta doença. Claro que existe uma serie de causas que poderão levar a que isto aconteça mas nada é certo, o nervo poderá ser afetado por diversos fatores, como infeções, traumas, distúrbios de glicémia, traumatismos cranianos, tumores situados próximo do nervo facial, otites, hipertensão arterial, entre outros.

Apesar de não existir uma causa exata para este tipo de distúrbios, grande parte dos casos conhecidos devem-se à reativação do vírus herpes tipo 1, este vírus poderá ficar armazenado durante anos no seu organismo sem ter nenhum tipo de reação, contudo se ficar latente nos nervos faciais, poderá causar uma inflamação que desencadeará este tipo de paralisia. Esta teoria não está totalmente comprovada mas é considerada uma das causas mais prováveis neste tipo de situação, sendo que quando a causa é devido a uma inflamação do nervo, mais propriamente quando a causa é viral, dá-se o nome de Paralisia de Bell.

Tratamento

O tratamento neste tipo de paralisia possui duas fases específicas, o tratamento que tem como base medicação e anti-inflamatórios e o tratamento de fisioterapia. Todos os pacientes com este distúrbio deverão ser acompanhados sistematicamente por um médico, que encaminhará da melhor forma o tratamento. Por norma o olho é algo que é afetado quando existe esta paralisia, deixando de fechar por completo, sendo que em alguns casos a pálpebra poderá ficar estática, por isso é necessário prevenir possíveis lesões da córnea, evitar assim a secagem da conjuntiva, para isso utiliza-se pomadas e gotas que ajudarão a lubrificar o olho. Para que o nervo volte ao seu normal é necessário a administração de anti-inflamatórios, tal como quando existe um músculo noutra zona do corpo inflamado é preciso que em primeiro lugar ele volte ao seu normal.

Normalmente em conjunto com a medicação, os doentes fazem fisioterapia à face, ajudando assim os músculos a voltarem ao seu normal. Este tratamento pode ser demorado e por vezes doloroso, uma vez que estará a forçar os músculos a mexerem-se.



26 March 2014